Televendas:  +55  (61)  3465-2008    /    superbike@powerchip.com.br
1ª  Empresa  do  Brasil   100%  Especializada  em  Injeção  Eletrônica  de  Motos !

                                                                                               

 

 

                                                                                       

 

                                                                                                          A limpeza de bicos é golpe?

                                                                                      Não precisa realmente ou deve ser feita?

 

 

 

                                                                                        

 

 

A limpeza de bicos é golpe? Não precisa realmente ou deve ser feita?

Esclarecimentos técnicos e opinião

 

De uns anos pra cá surgiu um debate, uma polêmica, envolvendo a limpeza de Injetores, popularmente chamados de Bicos. Os fabricantes de sistema de injeção e as Montadoras afirmam que nenhuma limpeza é necessária, somente a troca.  Para eles limpeza só deve ser feita se algum problema estiver ocorrendo, nunca como prevenção ou manutenção periódica. Isso aconteceu com automóveis, mas como os carros precederam as motos em Injeção eletrônica, antecipamos aqui o assunto que para o leitor da Pro Moto avalie os argumentos e tire suas próprias conclusões. O assunto é o mesmo para vocês motociclistas consumidores ou mecânicos.

Na opinião desta Coluna o motivo que levou a criação desta polêmica foi causado pelas próprias Concessionárias de automóveis. Na ganância de aumentar os lucros em serviços de oficina começaram a fazer limpezas de bicos sem necessidade, “tomando” o dinheiro do cliente de forma desonesta. Alguns consumidores, inconformados com os abusos, entraram em contato com as Montadoras para reclamarem do fato. Como de “santo” as fábricas não tem nada, partiram para a posição “em cima do muro” de declarar que a limpeza de bico não faz parte do plano de manutenção, mas devem ser feitas ao se verificar alguns diagnósticos de problemas envolvendo o mesmo. Há de se considerar nesta polêmica que as Montadoras tem interesse direto na venda de Bicos e que nada faturam com serviços, de interesse dos Concessionários.

Primeiramente, foram as Montadoras que obrigaram as Concessionárias da Rede a adquirirem as Maquinas de Limpeza de Bicos como parte do ferramental da sua oficina autorizada. No início da era Injeção Eletrônica a necessidade de limpeza era considerada normal, como parte da manutenção embora não escrito no Plano de serviços. Depois que as Concessionárias adquiriram estas máquinas, que não eram baratas (algumas chegavam a custar R$ 8.000,00), eles tinham que pagar o investimento e o único caminho para isso era vender o serviço.

Verificamos mais ou menos a mesma coisa com as motos.

Nenhum Manual técnico delas tem no Plano de Manutenção a recomendação de limpeza e são raras as Concessionárias e Oficinas independentes que tem o serviço. Até agora o que sabemos é que nenhuma Montadora de moto faz estas exigências a seus Concessionários. No nosso ponto de vista é errado, deviam fazer, mas orientar para que o serviço fosse oferecido com consciência.

 

Bicos - O que são:

O Injetor é uma eletroválvula que possui uma bobina eletromagnética no seu interior, uma câmara de passagem de combustível e orifícios na sua ponta.

São comandados pela Central, que abre uma passagem de combustível para o coletor de Admissão ao ser energizado e fecha mecanicamente pela ação da mola quando a alimentação é cortada. É do tipo NF (normalmente fechado). Os injetores trabalham com pulsos pelo negativo, fornecido pela Central. A Alimentação 12V ou Voltagem de Bateria é fixa e pelo aterramento pulsante, medido em tempo (milesegundos) é que se consegue determinar um volume de combustível ideal para qualquer situação do motor. Na ponta do injetor o normal é terem de 1 ou até 4 orifícios destinados à saída do combustível, que se projetam em jatos, direcionados ao pé da Válvula de Admissão formando um leque com ângulo de 45 graus.

 

Os problemas possíveis:

Os Bicos estão sujeitos a 2 categorias de problemas no funcionamento. Elétricos ou de fluxo.

O primeiro é de origem elétrica. Como é uma eletroválvula, trabalha com Tensão da Bateria, está sujeito a estragar eletricamente falando. Problemas nos enrolamentos das 2 Bobinas internas são comuns....Podemos dizer que não existe Bico “a prova de falha elétrica”, todos podem parar de funcionar de uma hora para outra sem explicação, sendo consequência ou causa da falha. O teste simples é verificar se ele“bate” ou “pulsa” com o funcionamento, encostando o dedo nele.

Estes problemas só se resolvem trocando mesmo....não há outra saída.

A segunda fonte de problemas são os relacionados à Dinâmica de Fluidos, ou seja, entupimentos parciais ou totais, falta de vedação na válvula, redução do fluxo, etc, todos atrapalhando o fluxo do combustível. Quando é um problema de entupimento parcial, ainda pode acontecer de 2 maneiras: Na ponta do Bico, após o orifício de saída do combustível ou na entrada, a partir da Bomba.

 

Os bicos ficam alojados em locais quentes, seja direto no Coletor de Admissão próximo ao Cabeçote como nas motos de 4 cilindros ou no Corpo de Borboleta com nas de 1 ou 2 cilindros. Com este esquenta esfria do motor, a gasolina cria uma resina dura na ponta dos Bicos que impede seu jato no ângulo ideal e consequentemente o fluxo de combustível é diminuído. Com o jato deslocado pela obstrução da resina, o combustível não se mistura adequadamente com o ar admitido e passa a escorrer nos cantos pra onde o jato é desviado. Isso é perda de eficiência volumétrica pela má formação da mistura, trazendo diminuição de potência e torque e aumento de consumo, além da carbonização do cilindro e perda de vedação e assentamento de válvulas.

Pra piorar a situação de muitas motos atuais, os Bicos costumam ter muito mais furos do que os convencionais de carros ou motos mais antigas. Fica fácil perceber que serão muito mais fáceis de trazer estes problemas, seja pela quantidade x probabilidade ou pelo diâmetro dos furos, muito menor. Uma moto 1000cc 4 cilindros ano 2003 para trás tinha 4 furos por Bico, ou seja, para cada 250cc. Uma moto 250cc atual usa Bico com 10 micro-furos. Está correto que são alojados em locais diferentes (Coletor e TBI), e talvez por isso a alteração do projeto em alguns casos, mas as consequências não mudam. Para quem é contra a limpeza, estes problemas parecem não existir.

 

O Reparo:

A solução viável para isso, no nosso entender, seria a limpeza na Maquina de Ultrassom, pulsando dentro do detergente para “quebrar” esta resina. Chamada de Maquina de Limpeza de Bicos, é um tanquinho, uma Cuba de metal com sistema de Ultrassom que vibra quebrando as moléculas da sujeira. Integra também um pulsador para fazer o Bico pulsar, abrindo e fechando a passagem do detergente.

 

Quando a origem do problema é na entrada do combustível, reflete-se na diminuição do fluxo ou vazão. Começa a faltar combustível no motor e isso não é percebido facilmente pelo piloto. A redução no fluxo chega facilmente a 10%. Isso é verificado na Maquina de Testes e Limpeza de Injetores. O Bico é colocado para injetar o combustível dentro de uma Bureta graduada, onde comparações podem ser feitas e constatadas as deficiências. Num motor com mais de 1 cilindro a diferença entre o volume injetado por cada Bico não pode passar de 5%. Se for um motor de competição não pode passar de 2%. Quem já teve a oportunidade de ver estes testes, não tem dúvida, sujeira atrapalha muito. Quem não teve, faça o teste e verá o resultado.

A primeira coisa que altera o fluxo é o Filtro de Combustível. Com entupimento parcial, diminui a vazão que vai afetar o jato dos bicos em determinadas condições de exigência do motor. Uma Bomba com baixa pressão altera o fluxo de combustível e tem como consequência a alteração da mistura na forma do jato. Com o Regulador de Pressão furado, aumenta a pressão, e o jato e a mistura alteram da mesma maneira. Mas estes não são problemas no Bico em si, mencionamos pra aproveitar o assunto relacionado.

No Bico tem um filtro, uma Telinha na entrada. Esta tela pode sujar, entupir parcialmente ou totalmente com o passar do uso.

Se esta sujeira se desprender e ir parar no furo, entupiria também total ou parcialmente. Um corpo estranho poderia travar a agulha do Bico aberta. Isso se chama perda de vedação (Estanqueidade), ou seja, o Bico fica pingando com motor desligado e enchendo o cilindro, que dificulta na partida. Outro problema mais grave, embora mais difícil de ocorrer, é quando se liga a chave, a Bomba pressuriza o combustível que encheria o cilindro podendo até dar um Calço Hidráulico dependendo do volume. E quando o motor está funcionando, a consequência é falha de cilindro, excesso de combustível, perda de potência, etc.

Pra piorar novamente, muitas motos simplesmente não tem Filtro de Combustível. Só uma tela no Pescador da Bomba e esta tela do Bico. Quem já viu a sujeira que sai de um Filtro de Combustível pode imaginar o entupimento que a Telinha no Bico está sujeito. As consequências nos jatos vocês já sabem. Motos que tem Filtro de Combustível também tem as telas do Pescador e do Bico. Portanto podemos dizer que eliminaram uma filtragem  importante de proteção.

Se um entupimento total acontecer nesta Telinha, o Bico simplesmente queima, pois é o combustível que o refrigera. Quem é contra a Limpeza, vai achar que o problema é elétrico......O problema elétrico é consequência, não a causa. Se a moto tiver de 2 a 4 Bicos e semente o que der problema for trocado e nenhum limpeza feita, os outros estarão sujeitos aos mesmo defeito em breve.

Ainda existe uma “goma” formada no combustível, dentro do Bico, que desconheço as razões químicas, mas já vi muitas vezes e fica claro que atrapalharia no fluxo lá dentro.

 

Na nossa opinião, mais uma vez, achamos que o corpo estranho só pode ser retirado de lá com a Limpeza por Ultrassom.

E a Telinha ou a Goma só se limpam com um processo chamado de Retrolavagem. É isso mesmo, o detergente da Maquina de Limpeza entra pela frente, pelos furos e sai pelo fundo, limpando a Telinha de dentro para fora. Somente algumas Maquinas de Bicos tem este recurso.

 

Conclusão e recomendações:

Achamos um absurdo trocar um Bico por problemas de fluxo, por isso somos a favor da limpeza, desde que na Quilometragem citada abaixo:

Na teoria a limpeza deve ser feita a cada 15.000 Km ou 20.000 Km. Os injetores necessitam de determinados cuidados de manutenção para terem um bom fluxo de combustível. A limpeza de bicos é necessária independente de usar gasolina suja ou limpa.

Ando de moto injetada e as duas vezes que limpei o Bico da minha moto a diferença ao andar foi impressionante. É bem sensível, ao trocar apenas 2 ou 3 marchas você já percebe a disposição do motor. Com certeza jamais se esquecerá de limpar. Isso prova que o entupimento parcial já estava atrapalhando, mas não se percebe porque é um processo gradativo, lento.

Opa! Está na hora de limpar o Bico de novo, cheguei aos 50.000Km.  Minhas 2 limpezas foram assim, a primeira aos 26.000km foi feita com atraso e a segunda com 43.000km nos 15.000km aproximadamente.

Nós recomendamos!

E logicamente nos casos de defeito elétrico só existe a troca como reparo recomendado.

 

 

Breno Assumpção

Diretor Técnico

Dicas Técnicas