Televendas:  +55  (61)  3465-2008    /    superbike@powerchip.com.br
1ª  Empresa  do  Brasil   100%  Especializada  em  Injeção  Eletrônica  de  Motos !

 

 

                       

 

 

COMO REPROGRAMAR A INJEÇÃO?

 

Em uma moto carburada, quando se altera alguma coisa mecânica, tipo escape, filtro de ar, fazer um cabeçote, comando de válvulas, etc. Você tem acertar a carburação (giclês e agulha) para ajustar a mistura com a nova configuração mecânica do motor.
Um acerto de avanço de ignição também seria bem vindo, mas isso foi só nas motos da década de 70.....depois que apareceu a ignição eletrônica mapeada (CDI - Ignição por Descarga Capacitiva) acabou a mamata, não dava pra "mexer"...ou melhor, existe jeito mas trocando o CDI original por especiais reprogramáveis. Adiantar o Sensor de Pulso é rudimentar e pode
piorar o motor em certas faixas de RPM. Uma curva de avanço bem feita não deve ter muito avanço em alta rotação sob o risco de amarrar o motor nesta faixa de RPM, aquecer demais ou até furar o pistão. Por isso adiantar o sensor de rotação, enquanto se ganha torque na baixa e média, você pode estar piorando em alta.


E NA INJEÇÃO?

 
Alguém acha que não é necessário fazer o mesmo?
Tem gente que acha que a injeção é inteligente, que se adapta sozinha.....Outros acham que as injeções que se adaptam são as que tem Sonda Lambda...........nada disso é verdade!
A injeção eletrônica é um sistema composto de sensores e atuadores, controlado por um computador (CPU, ECU, Central, etc.). A regulagem para cada motor é inserida neste computador na forma de programa (software) que contém tabelas especificando os valores máximos e mínimos para Combustível e avanço de ignição para todas as faixas de RPM e Carga que o motor for
submetido.
Numa carburada, corresponde a calibração de giclês, posição de agulha, pressão de válvula de máxima, altura de bóia, etc. E o avanço de ignição mapeado dentro do CDI ou através de platinados (velho heim?).

O QUE É REPROGRAMAR UMA ECU? COMO FAZER?

 

Reprogramar uma ECU é um termo usado porque o que controla o motor de uma moto injetada é um programa. Reprogramar ou Remapear é modificá-lo, mais especificamente nos valores de Tabelas e configurações interessadas ao usuário para o ajuste melhor de funcionamento do motor a nossa gasolina ou porque foi colocado um escape ou ponteira esportiva, filtro de ar, qualquer alteração mecânica no motor.

Só se altera esta regulagem de um motor injetado com softwares ou reprogramadores, que variam do mais básico ao mais sofisticado.

 

REPROGRAMADORES BÁSICOS.

 

Fazem a reprogramação usando Interceptadores que trabalham com as correções atmosféricas.
É um tipo básico, que sempre funciona e é universal, serve em qualquer moto injetada independente da marca ou cilindrada. O preço é o que se tem de menor no mercado de performance de injeção eletrônica.
Este tipo de Reprogramador "força" a ECU adotar uma regulagem mais forte.
As correções adicionam valores às tabelas base de Combustível e Avanço de Ignição. A regulagem é simples e pode corrigir até 20% ou 30% a quantidade de combustível.
A Ignição, na mesma regulagem do combustível é antecipada em vários graus, dependendo de cada
ECU. A Powerchip fabrica diversos modelos de reprogramação básica.

 

 

REPROGRAMADORES DE MISTURATabelas Off Set

 

São reprogramadores exclusivamente de combustível. Para compensar a dificuldade de acesso ao programa de regulagem no processador, as japonesas Suzuki (todas injetadas) e Kawasaki (algumas) têm uma tomada de reprogramação de mistura (combustível) de -15% a +15% em função de RPM e TPS (Posição de Borboleta). É o acesso a uma Tabela Off Set que a fábrica deixa na arquitetura da ECU para ajustar rapidamente o mesmo programa entre 2 modelos com características diferentes estilos. Ex: o programa de uma DL 1000 V-Strom  e de uma TL 1000S têm a mesma base de tabelas, porém com Comandos de Válvulas diferentes, o que exige ajustes de combustíveis diferentes.
O acesso é feito no chicote desta tomada usando uma comunicação através de multiplexadores e Memórias E2PROM. A Powerchip fabrica os reprogramadores Pro Racing Suzuki e Pro Racing kawasaki (exclusivo). No mercado internacional o mais conhecido é o Yoshimura Fuel Adjuster.

 

REPROGRAMADORES PIGGY-BACK

 

Os reprogramadores tipo Piggy-back, são ligados aos atuadores da injeção (bicos e/ou Ignição), interceptando estes sinais e podendo alterá-los no "meio do caminho". O sensor de Posição de Borboleta serve de referência para a montagem da tabela.

Os mais desenvolvidos usando software de remapeamento específico do equipamento onde aparecem as tabelas com valores Zero (default). Assim você pode aumentar ou diminuir o tempo de injeção e ignição em percentual. É o caso de um interceptador sofisticado como o PowerCommander.  O PowerCommander normalmente vendido só vem com módulo de combustível, interceptando os bicos. Para interceptar também a ignição é necessário adquirir um módulo opcional do mesmo fabricante. É digital e mais técnico para fazer a regulagem, usa software e se "constrói” um mapa de combustível x TPS x RPM trabalhando no tempo de injeção enviado aos injetores, modificando no meu do caminho.

Reprogramadores Piggy-Back tipo Pulse Extender ou alongador de pulso.
São um tipo de interceptador digital mais simples, sem software de Remapeamento. Ligados somente aos bicos, interceptam seus pulsos e permite aumentá-los com regulagem definidas em percentual. Usam placa digital com CI (circuito integrado) específico para o tratamento de sinais de tempo de injeção (TI). A Powerchip fabrica o MX-RACE, com processamento baseado no sinal da Sonda para orientação da mistura ideal.

 

REPROGRAMADORES “NO LIMIT”.

Também existem reprogramadores que não são para ajustar combustível ou avanço de ignição. São os que retiram restrições de avanço de ignição, aumentando potência. Também eliminam limitador de velocidade em alguns modelos. Só aplicam-se a motos de grandes cilindradas, esportivas e equipadas com Sensor de Marcha. A Powerchip já fabricou o Interceptor que podia ser usado praticamente em todas as motos Suzuki. Mas como hoje temos acesso ao software da ECU e podemos tirar esta restrição na programação, deixamos de fabricá-lo.

 

REPROGRAMAÇÃO NA ECU ORIGINAL.

TOP EM RECURSOS E TECNOLOGIA

 

O melhor jeito de se acertar um motor é através da reprogramação dos mapas, ou remapeamento, no arquivo fonte. Para fazer este trabalho é necessário em primeiro lugar conhecimento técnico de software, de afinação de motores e de injeção + alguns equipamentos e softwares de remapeamento e comunicação.
Esta reprogramação possível é muito mais fácil em motos que usam memórias de leitura tipo Eprom ou Flash dentro da ECU, onde estão gravados estes arquivos (programas) com as tabelas e mapas. Estas tabelas e mapas já aparecem no software se forem cadastradas anteriormente. Este tipo de ECU estão em motos européias (BMW
, Ducati, Cagiva, Gasgas, etc.) mais antigas.
A ECU de motos Japonesas (Honda, Suzuki, Kawasaki e Yamaha), Americanas (Harley e Buell) e Européias (Ducati e Triumph novas) não usam este tipo de memória separada (Eprom ou Flash), com o programa de regulagem de fácil acesso. Este programa está dentro da memória do próprio processador da ECU. O acesso só é feito através de um Módulo de Reprogramação (hardware) específico e software de comunicação, com protocolo no padrão do processador, códigos de acesso enviados e recebidos para finalmente conseguir ler o arquivo original e gravar o modificado. Após ter o acesso,
é necessário encontrar os mapas e configurações através do Código Fonte, determinar seu endereço, tamanho, Break Points, fatores de cálculos para equivalência de combustível, avanço, temperaturas, etc.

Veja detalhes sobre este reprogramador no SISTEMA DE REPROGRAMAÇÃO, exclusivo da Powerchip no site específico www.remapracebike.com.br

 

ECU REPROGRAMÁVEL – SUBSTITUIÇÃO DA ECU ORIGINAL

 

Existe a opção de troca da ECU original por outra reprogramável. Como elas são feitas por fabricantes independentes, o acesso a comunicação é livre com um Cabo e Interface específica e todos os mapas e configurações estão no software. Algumas têm muitas funções, mas a maioria é limitada pela quantidade de mapas e configurações ou pelo processador adotado. Comparadas com uma ECU original elas tem um controle bem menor e limitado.